PLEUROTUS CITRINOPILEATUS

PARÂMETROS DE CULTIVO

 

Colonização

Temperatura: 24-29ºC

Umidade relativa: 90-100%

Duração: 10 a 15 dias

CO²: 5000-20000ppm

Trocas de ar: 1-2 por hora

Iluminação: não

Indução da frutificação

Temperatura: 21-27ºC

Umidade relativa: 98-100%

Duração: 3 a 5 dias

CO²: <1000ppm

Trocas de ar: 4-8 por hora

Iluminação: 500-1000 lux 

Desenvolvimento dos cogumelos

Temperatura: 21-29ºC

Umidade relativa: 90-95%

Duração: 3 a 7 dias

CO²: <1000ppm

Trocas de ar: 4-8 por hora

Iluminação: 500-1000 lux 

Cogumelos do gênero Pleurotus, vulgarmente conhecidos como shimeji, são de longe os cogumelos mais fáceis e baratos de cultivar. Para pequenos produtores com orçamento limitado, cogumelos Pleurotus são excelentes escolhas. Poucos cogumelos comestíveis demonstram tanta capacidade de adaptação, agressividade do micélio, e produtividade quanto os Pleurotus. São decompositores de madeira e crescem em uma enorme variedade de substratos, desde serragem até resíduos agrícolas. Podem ser cultivados em serragem, lascas de madeira, papel, papelão, palhas, feno, sabugo de milho, bagaço de cana, resíduos de café, folhagem de bananeira e diversos outros materiais. Os cogumelos do gênero Pleurotus podem ser facilmente usados em programas sociais de redução da fome em locais pobres e para aumentar a renda de moradores de áreas rurais. Os cogumelos Pleurotus possuem muitas vitaminas, como vitamina C, vitamina B, ácido fólico, potássio, além de diversos compostos com propriedades medicinais como lovastatina (reduz o colesterol do sangue). Após a produção dos cogumelos, o composto velho pode ser utilizado como suplemento alimentar para porcos e galinhas, além de poder ser decomposto em minhocário e gerar um substrato rico em nutrientes para hortas e pomares, contendo também uma poderosa substância anti nematoide natural.

 

Pleurotus citrinopileatus, conhecido no Brasil como shimeji amarelo, ou cogumelo ostra amarelo, é uma das espécies mais espetaculares de Pleurotus e surpreende as pessoas que nunca viram esse cogumelo devido a sua cor amarela brilhante. A tonalidade e intensidade da coloração é intimamente ligada com a intensidade luminosa do local de frutificação, e é um atrativo nas prateleiras dos mercados. Nativo das florestas da China, Japão e regiões adjacentes, esse cogumelo cresce naturalmente em troncos mortos de carvalho e outras árvores de madeira dura. De acordo com Ying (1987) o Pleurotus citrinopileatus ajuda no tratamento de enfisema pulmonar, e assim como o Pleurotus ostreatus, ajuda na redução do colesterol.

Método de cultivo: Pode ser cultivado em resíduos agrícolas pasteurizados (casca de semente de algodão, bagaço de cana, palha, restos da plantação de café, etc), serragem suplementada com farelo de trigo esterilizada, além de diversos outros materiais lignocelulósicos, e a taxa de "spawn" usado na inoculação é de 15 a 20% ("spawn" em relação ao peso seco do substrato). Essa espécie não produz tanto cogumelo como Pleurotus ostreatus e Pleurotus pulmonarius, prefere locais mais quentes para frutificar, sendo ideal o cultivo nas estações mais quentes do ano, e pode produzir em 2 ciclos de colheita espaçados aproximadamente por 15 dias. 

Sabor, preparo e cozimento: Possui cheiro adstringente, amendoado e as vezes parecido com peixe. O tempo de cozimento é mais alto por ser um cogumelo mais duro que os outros Pleurotus e para alguns essa espécie é uma iguaria, no entanto algumas pessoas não gostam do sabor, que varia bastante conforme o tempo de cozimento. Pode ser usado em caldos de legumes, refogados, empanados, etc. É um cogumelo muito versátil na cozinha, e a sua tonalidade amarela pode ser perdida após alguns minutos de cozimento.