CALOCYBE INDICA (COGUMELO LEITOSO)

PARÂMETROS DE CULTIVO

 

Colonização

Temperatura: 28-35ºC

Umidade relativa: 85-90%

Duração: 16-20 dias

CO²: >20000ppm

Trocas de ar: 0

Iluminação: não

Indução da frutificação

Temperatura: 28-38ºC

Umidade relativa: 85-90%

Duração:8-16 dias

CO²: 500-1000ppm

Trocas de ar: 4-8 por hora

Iluminação: 1600-3200 lux 8h/dia

Desenvolvimento dos cogumelos

Temperatura: 28-38ºC

Umidade relativa: 80-85%

Duração: 5-7 dias

CO²: 500-1000ppm

Trocas de ar: 4-8 por hora

Iluminação: 1600-3200 lux 8h/dia

A população mundial cresce de forma muito rápido. Estamos quase atingindo a marca de 8 bilhões de seres humanos. A expectativa para 2050 é que atinja 9 bilhões, e em 2100 aproximadamente 20 bilhões. Com o aumento do número de pessoas as áreas urbanas concorrerão com as áreas cultiváveis, e a falta de comida se tornará um problema cada vez maior. A conversão de resíduos  agrícolas lignocelulóticos em cogumelos, ricos em proteína,  é um dos processos biotecnológicos mais econômicos e sustentáveis para atender a demanda de proteína mundial. O consumo de fungos comestíveis, em especial os cogumelos, foram historicamente muito importantes para a sobrevivência de alguns povos. No futuro, a produção e consumo de cogumelos podem significar um dos suprimentos alimentares mais importantes de muitas populações.


A maioria dos cogumelos comestíveis cresce em temperaturas inferiores a 25'C, o que torna a criação de cultivos comerciais muito cara em locais de climas quentes. Cogumelos de clima quente, como o Calocybe indica (30~38'C), possibilitam a produção em locais quentes, o que dispensa o uso de condicionadores de ar. O Calocybe indica é uma espécie de cogumelo nativa da Índia, conhecido como cogumelo leitoso branco. Ele é muito comum após as chuvas de verão nos campos e beiras de estrada dos estados indianos de Tâmil Nadu e Rajastão. A primeira cepa comercial de Calocybe indica foi produzida na Índia em 1988 na Universidade de agricultura Tâmil Nadu. Por mais de uma década a produção comercial desse cogumelo assumiu uma importância muito grande nas áreas rurais da Índia. O cultivo comercial desse cogumelo atualmente é concentrado no sul da Índia, sendo a China, Malásia e Singapura grandes consumidores desse cogumelo. Essa espécie pode ser cultivada facilmente em locais de clima quente para comércio ou consumo próprio. Antes do cultivo comercial, caçadores de cogumelos coletavam essa espécie nos campos e vendiam em mercados locais. Sua cor bem branca e seu tamanho robusto chamava muita atenção dos compradores. Na natureza o Calocybe indica cresce em solos

ricos com matéria orgânica entre os meses de maio e agosto, quando as chuvas começam. Ele é considerado saprófito (organismos que obtém nutrientes de matéria orgânica morta) mas as vezes é possível encontrá-lo em associação com algumas plantas, considerado ectomicorrízico (relação simbiótica com raízes de algumas plantas). Cocos nucifera (coqueiro), Borassus flabellifer (palmeira macha brava), Tamarindus indica (tamarindo) e Peltophorum ferruginum são exemplos de plantas que podem estabelecer relações de micorriza.

 

Cultivadores gostam desse cogumelo por vários motivos, dentre eles podemos citar a alta tolerância a temperaturas quentes (30 a 38'C) e umidade entre 80 e 85%. O tempo de prateleira (tempo em que o produto permanece viável para o consumo) é bem alto, podendo chegar a até 7 dias em temperatura ambiente. Além disso o Calocybe indica permanece com aparência de fresco, não fica marrom ou com marcas de oxidação como o champignon. Outro ponto forte é que raramente ocorrem contaminações pois essa espécie é muito resistente. A infraestrutura necessária para cultivar esse cogumelo é muito simples, o que diminui os custos de produção. O ciclo de produção é curto, mais ou menos entre 7 e 8 semanas, podendo atingir 140% de eficiência biológica (140kg de cogumelos frescos a cada 100kg de composto seco). Como todo cultivo de cogumelos, o sucesso se baseia no tempo, temperatura, pH, relação C:N, luz e trocas de ar. O micélio do Calocybe indica demora cerca de 8 a 10 dias para colonizar uma placa de petri com PDA ou MEA (meios de cultura). Extrato de levedura, quando adicionado ao meio de cultivo, é bastante benéfico para o crescimento do micélio. O pH mais adequado fica entre 5.5 e 8.5, e a temperatura ótima para a produção do cogumelo se encontra entre 30 e 35'C. Temperaturas abaixo de 25 ou acima de 38 não são bem aceitas por esse cogumelo. A relação C:N que mais produz cogumelos gira em torno de 12:1. Luz indireta ou luz artificial é necessária durante a colonização e para a  formação dos primórdios, aproximadamente 800 luz. Depois que os cogumelos começam a crescer a intensidade luminosa pode ser até 1600 lux. De acordo com a luz o tamanho e a forma do cogumelo varia. Luz forte diminui a haste e aumenta o chapéu do cogumelo. 

Trigo e sorgo são os melhores grãos para se fabricar a "semente" do Calocybe indica, suplementado com 2% de carbonato de cálcio. CLIQUE AQUI para aprender como fabricar a "semente" de cogumelos, caso ainda não saiba como fazer. Após a esterilização e o resfriamento, a "semente" deve ser inoculada com a cultura líquida ou pedaço de meio de cultura colonizado, incubada a 30'C por um período de 15 a 20 dias. A idade da "semente" influencia bastante no padrão de produção desse cogumelo. As melhores colheitas são produzidas com "sementes" com 21 dias de idade, aproximadamente. O armazenamento prolongado da "semente" de Calocybe indica reduz a produção. A proporção de "semente" para composto é de 2%. Palhas, em geral, são ótimos substratos para essa espécie de cogumelo. A adição de suplementos, como farelo de soja ou casca de algodão, por exemplo, influencia diretamente a colonização do substrato, tempo para formação dos cogumelos e número de cogumelos, além de influenciar o padrão de nascimento em geral. Bagaço de cana, sabugo de milho, palhas, resíduos da produção de café e chá, talos de girassol, e diversos outros resíduos lignocelulósicos podem ser usados na produção de Calocybe indicaA produção desse cogumelo é normalmente feita de forma manual. São 6 etapas de produção:

 

1) Produção da "semente"

2) Colonização do substrato

3) Preparação da "cama"

4) Manutenção da sala de cultivo durante a colonização e produção dos cogumelos

5) Colheita, limpeza e empacotamento

6) Descarte do substrato velho. 


Os cultivadores normalmente mergulham o substrato em água quente (80'C) por 4 a 5 horas e depois escorrem em um local limpo até esfriar, ou realizam a pasteurização com vapor a 90'C por 1 hora. Depois da pasteurização o substrato é colocado e sacos de polipropileno (60x30cm) e inoculado com a "semente" colonizada. O saco é então mantido em salas limpas com temperaturas entre 25 e 30 graus Celsius e umidade entre 80 e 85'C por 15 a 20 dias. Depois de colonizado, é aplicado na parte superior de cada saco uma camada de cobertura numa profundidade de 2cm. Os sacos são então colocados na sala de frutificação, mantidos entre 30 e 35'C, co, umidade no mínimo em 80%. Na sala de frutificação precisa ter luz suficiente para ler um livro. Os primeiros cogumelos aparecerão na superfície em aproximadamente uma semana, e dentro de poucos dias atingirão a maturidade correta para a colheita. O primeiro fluxo de colheita ocorre normalmente entre 24 e 30 dias, podendo atingir até 3 a 4 fluxos de colheita num período de 45 dias. Temperaturas abaixo de 25'C prejudicam o crescimento do micélio. 

Essa espécie precisa de camada de cobertura para frutificar adequadamente. A camada de cobertura é uma prática muito utilizada no cultivo de cogumelos que crescem em solos, como o Calocybe. A camada de cobertura no cultivo de Calocybe indica induz o micélio a produzir os cogumelos, deve ser úmida e alcalina, pasteurizada com vapor. Camadas compactas impedem a troca gasosa entre o micélio e o ar, por isso essa camada deve ser aerada. Sem essa camada o micélio dificilmente produzirá cogumelos. Uma boa formulação para a camada de cobertura para esse cogumelo é uma mistura de 1 para 1 de terra argilosa e areia, misturado com 10% de carbonato de cálcio. Essa camada, depois de aplicada em cima do micélio, deve ser mantida úmida com spray de água durante todo o cultivo. O índice de proteína do Calocybe indica é superior ao do champignon (Agaricus bisporus) e shimeji branco (Pleurotus ostreatus), chegando próximo a 30% (peso seco). Além disso possui 85% de água e 61% de fibras (peso seco). A tabela abaixo compara alguns parâmetros no cultivo de Calocybe indica em relação ao champignon e shimeji

Uma dica importante: Após a colheita do primeiro fluxo de cogumelos deve-se raspar 1 cm da superfície do micélio em seguida recobrir com mais camada de cobertura e obter mais um fluxo de colheita. Diversos antioxidantes são encontrados nesse cogumelos, que podem ajudar a tratar doenças como

artrite reumatóide, cirrose, câncer, diabetes mellitus, e muitos outros males. Testes com ratos alimentados com esse cogumelo mostraram uma diminuição nos índices de glicemia do sangue, além de aumentar a quantidade de linfócitos e células vermelhas.  Nesse cogumelo é possível encontrar enzimas que neutralizam radicais livres, vitamina A, B, C, E, carotenóides dentre outros compostos.